sábado, 24 de julho de 2010

A importância da Capoeira na Educação Infantil

Capoeira

Nesta primeira semana de funcionamento do Programa Mais Educação dentro do CAIC - Centro de Atenção Integral à Criança – Jorge Amado, muitos problemas foram constatados por parte da Coordenação Pedagógica do projeto. Todos eles já eram esperados e, aos poucos, a direção geral da escola está ajustando-se da melhor forma possível para que sejam solucionados.

Contudo, nenhum deles é tão preocupante quanto a falta de informações por parte de algumas pessoas em relação às oficinas que estão sendo oferecidas aos estudantes. Uma delas é a Capoeira, oficina essa, aliás, que fica entre as que mais motivam o aluno a permanecerem na escola em tempo integral. Mestre Kinho e sua turma tem realizado um grande trabalho na escola, trabalho esse que se iniciou antes mesmo de o ‘Mais Educação’ ser implantado. Desde 2009, o Mestre Kinho colabora com o CAIC no sentido de levar a arte da Capoeira para os alunos.

Só que algumas pessoas ainda mantêm uma postura no mínimo preconceituosa em relação à Capoeira. Para suplantar esse preconceito, o “Blog do CAIC” publica, então, um artigo divulgado pelo site “Over Mundo”, que fala justamente da importância da Capoeira na Educação Infantil. Trazendo-se muito do conteúdo deste artigo para a realidade do CAIC, pode-se pensar que a Capoeira é importante também para todo e qualquer jovem em fase de desenvolvimento. Abaixo, eis os motivos:

 

A Capoeira na Educação Infantil - 1ª Parte

 

Uma Ferramenta Metodológica para Pedagogia Social.


O presente estudo tem como intuito principal discutir as bases históricas e ideológicas que fundamentam a capoeira na Educação Infantil, a partir da análise do processo de inserção da mesma no contexto escolar, suas modificações adaptativas e suas possibilidades enquanto instrumento revolucionário ou conformador para edificação de uma pedagogia social. Faremos esta abordagem estabelecendo uma analise do processo histórico de introdução da capoeira na Educação Infantil, seguido de uma discussão sobre a potencialidade pedagógica ,revolucionaria ou conformadora, da capoeira a partir do diálogo com alguns autores, culminando com algumas considerações que propõem uma reflexão sobre a prática pedagógica na Educação Infantil para construção de uma sociedade mais justa, com indivíduos mais críticos, criativos e autônomos.
A Capoeira, esta arte de origem controversa e que ainda desperta muita polêmica, emergiu no bojo das camadas populares e adentra as instituições públicas e privadas de forma arrebatadora e efusiva, sendo capaz de em pouco mais de quatrocentos anos de trajetória estar presente na maior parte das escolas, clubes, universidades, academias, dentre outros, se firmando com força em vários países do mundo, força esta, que ora estamos precisando verificar, os interesses ideológicos que estão sendo defendidos nas entrelinhas de sua expansão pelo mundo e, em particular, na Educação Infantil.
Segundo dados fornecidos por Sérgio Luís de Souza Vieira, presidente da Confederação Brasileira de Capoeira (CBC), a Capoeira hoje é praticada oficialmente em cento e trinta e dois países, tendo como instituições para administrar a modalidade atualmente, no Brasil, oitenta e quatro Ligas Regionais e Municipais, vinte e quatro Federações Estaduais, uma Confederação Brasileira, uma Associação Brasileira de Árbitros, uma Associação Brasileira de Capoeira para Portadores de Necessidades Especiais. No âmbito internacional existe a Federação Internacional de Capoeira (FICA), que coordena trabalhos das Federações Nacionais de Capoeira existentes no Canadá, Portugal, Argentina, França, dentre outros países.
É importante se lembrar que este fenômeno, chamado Capoeira, não surgiu de forma instantânea, ou seja, ao longo de sua história inúmeras barreiras foram rompidas para que a mesma se transformasse “de luta marginal a uma alternativa educacional”, e é justamente sobre o processo de inserção da capoeira nas instituições de ensino, em particular as de Educação Infantil, que discutiremos neste artigo, analisando as possibilidades da capoeira enquanto ferramenta metodológica na construção de uma pedagogia social ou sua utilização como instrumento alienador para manutenção da lógica capitalista.

A escola e a capoeira.

 

Associação Cultural GUETO - Projeto Camaradinhas - SA, BA

Associação Cultural GUETO - Projeto Camaradinhas - SSA, BA

Roda de Capoeira na A. C. GUETO - Mestre Jean Pangolim e Milani nos Berimbaus

Roda de Capoeira na A. C. GUETO - Mestre Jean Pangolim e Milani nos Berimbaus

 

Partindo dos princípios de que a capoeira, ao longo de sua história, passou por uma série de transformações para firmar seu espaço no ambiente escolar e que a escola funciona, na maioria das vezes, como um aparelho ideológico do estado, que por sua vez estará sujeito aos ditames do capital, tentaremos aqui traçar um painel desta dialética relação entre a Capoeira e a Escola.
Para compreender os conflitos desta relação, precisamos lembrar que o surgimento da escola teve suas bases associadas a uma estratégia de manutenção da diferença entre a classe operária e a classe burguesa, sendo esta última beneficiada pela manutenção ideológica garantida pela escola, pois ali estariam garantidos os princípios de construção da separação entre ¨fazer e pensar¨, ¨corpo e mente¨ e etc..., princípios estes que resistem até os dias atuais. Segundo Dangeville (1978):


Todo sistema de ensino da sociedade capitalista assenta no racionalismo burguês, ou seja um idealismo ou iluminismo que esclarece os espíritos, a massa e a matéria. Neste sentido, o princípio de ¨revelação¨ esta no seio das escolas burguesas tanto laicas como religiosas. Toda a sociedade dividida em duas classes é necessariamente idealista: a elite esclarecida dita as normas, e a massa bruta deve segui-las sem discussão. (p.35).


A partir da análise deste contexto acima, fica fácil compreender o tamanho do ¨desafio¨ e das transformações, que foram ¨necessárias¨ para enquadrar a Capoeira na lógica escolar, pois a capoeiragem historicamente foi também símbolo de contestação da lógica vigente e sua fundamentação filosófica centra-se em uma simbologia que extrapola o conceito de educação escolar, ratificando o verdadeiro conceito de educação, que não estabelecem fronteiras, nem limites para as relações de ensino-aprendizagem. Segundo Brandão (1981):

Quando a escola é a aldeia, a educação existe onde não há escola e por toda parte pode haver redes e estruturas sociais, de transferência de saber de uma geração a outra, onde ainda não foi sequer criada a sombra de um modelo de ensino formal e centralizado. Porque a educação aprende com o homem a continuar o trabalho da vida. Á vida que transporta de uma espécie para outra, dentro de historia da natureza, e de uma geração a outra de viventes, dentro da historia da espécie, os princípios através dos quais a própria vida aprende a ensinar a sobreviver e a evoluir em cada tipo de ser. (p.13).


Deste conceito mais amplo de educação surgem às bases filosóficas dos ensinamentos da simbologia da capoeiragem. Assim fica fácil compreender o tamanho do abismo entre a matriz norteadora da capoeira e a forma na qual ela se apresenta hoje nas escolas de Educação Infantil, ou seja, algumas das adaptações que permearam estes anos de transformações da capoeira pela sobrevivência, esterilizaram a possibilidade revolucionária de construção de uma pedagogia social que está impregnada em algumas sociedades do continente africano que acabaram por influenciar a estruturação e reelaboração de práticas em território brasileiro, tais como a própria capoeira. Nesta perspectiva tentaremos, a partir de um diálogo com os teóricos e reflexões sobre a filosofia da capoeira transmitida oralmente pelos grandes mestres desta arte, organizar um breve levantamento histórico da capoeira e analisar algumas possibilidades de intervenção da capoeira para uma pedagogia social na Educação Infantil.


Da luta marginal a uma alternativa educacional.


Por volta da década de trinta, através da criação e oficialização legal da Luta Regional Baiana (Capoeira Regional), estruturada por Manoel dos Reis Machado (Mestre Bimba) e seus discípulos, a capoeira ganha uma nova roupagem que abre a possibilidade de institucionalização da mesma, pois pela primeira vez a sociedade reconhecia e decodificava os símbolos que fundamentavam a prática de ensino da capoeira, por meio de um método sistematizado e escrito que poderia facilmente ser implantado em diversas instituições, fato este que aliado a uma conjuntura política que estimulava ideais nacionalistas pela forte influência do “Estado Novo” de Vargas na defesa de um modelo de ginástica que pudesse ser genuinamente brasileiro, impulsionaram um grande crescimento e divulgação da capoeira. Um outro fator que contribuiu muito para a expansão da capoeira institucionalizada foi à condição desta alternativa apresentar-se como uma possível tentativa de cooptação e controle de uma arte que insurgiasse de forma subversiva em alguns pontos do território nacional, a exemplo das maltas do Rio de Janeiro e de outros pequenos movimentos de contestação da estrutura social vigente, que tinham na capoeira um “braço” de luta, ou seja, é importante lembrar que esta aceitação teve um preço alto, pois, a necessidade de atender os anseios de uma classe social dominante, enquadrou e remodelou a capoeira em um perfil alienador, que em última instância desarticulava sua simbologia metodológica revolucionária e a colocava a serviço do sistema.
Sobre as maltas podemos citar um relatório do ministro e secretário dos negócios da justiça referente ao ano de 1878, revelando toda a preocupação do Estado com a Capoeira:


Uma das mais estranhas enfermidades morais desta grande e civilizada cidade é a associação de capoeiras. Associação regularmente organizada, com seus chefes, sua subdivisão em maltas, que denominam badernas, com sinais e gírias próprias. Grupos de turbulentos, ávidos de assuadas, de lutas e de sangue, concorrem à voz de seus chefes das grandes reuniões populares e festividades públicas, para o fim de decidirem por meios violentos as suas contendas e rivalidades. (FILHO e LIMA, citado por ARAÚJO, 1997, p.175).


A partir desta transformação, a capoeira gradativamente vai inserindo-se no contexto escolar, podendo-se atribuir ao Mestre Bimba um papel importante neste processo, pois através de seu contato com estudantes universitários de Salvador, que o convidaram para ensinar na pensão onde residiam, o mestre pode ter acesso a uma camada social e a códigos e símbolos do conhecimento científico que possibilitaram a criação e sistematização deste novo modelo de ensino da capoeira. A partir daí a Capoeira inicia seu processo de institucionalização. Segundo o Mestre Itapoã, citado por Vieira (1990):


Quando o Mestre foi parar lá, os estudantes começaram a conversar com ele, que a capoeira não podia ser uma coisa perseguida pela polícia. Isso foi em 1934, quando os caras foram para Salvador estudar Medicina. O Nordeste todo ia estudar lá. Foi assim que ele começou a ter contato com a sociedade da época. (p.123).


O novo modelo de Capoeira criado por Bimba e seus discípulos passa a ser reconhecido paulatinamente pela sociedade civil, sendo inclusive o Mestre Bimba agraciado com o título de Instrutor de Educação Física, mediante diploma oficial assinado por Dr. Gustavo Capanema, o então Ministro de Educação, no ano de 1957 pelo enquadramento do ensino da Capoeira na legislação vigente (DECÂNIO, 1997, p.118). Apesar dos avanços proporcionados por Bimba, o mesmo só teve acesso a uma única instituição, que foi o CPOR (Centro de Preparação de Oficiais da Reserva), na qual ministrou aulas de capoeira para os aspirantes da reserva. Este fato denota que a capoeira institucionalizada inicia-se com M. Bimba, mas só vem se firmar com o passar dos anos, através de outras iniciativas promovidas por seus alunos.
As transformações sofridas no processo de ensino da capoeira iniciaram a aproximação da mesma ao ambiente escolar, favorecendo seu reconhecimento e ampliando suas perspectivas com vista a se firmar como ferramenta pedagógica no processo educativo alienador do modelo capitalista. Conforme Abreu (2003, p. 20),

“Sobre a oitiva: era na roda, sem a interrupção do seu curso que se dava à iniciação, com o mestre pegando nas mãos do aluno para dar uma volta com ele. Diferentemente de hoje em dia, quando é mais freqüente iniciar o aprendizado através de séries repetitivas de golpes e movimentos, antigamente o lance inicial poderia surgir de uma situação inesperada, própria do jogo: um balão boca de calça, por exemplo. A partir dele se desdobravam outras situações inerentes ao jogo, que o aprendiz vivenciava orientado pelos “toques” do mestre...”.

No Brasil, por volta do final da década de 70 e início da década de 80, tivemos um grande crescimento no número de instituições de ensino da Capoeira, fato este que contribuiu muito para a pulverização da capoeira em escolas, universidades e creches, acrescentando a estes ambientes de trato com o conhecimento um toque de cultura e inúmeras possibilidades de intervenção no que se refere à atividade física, que acabam sendo respaldadas por leis e sugerida por diversos instrumentos informativos que orientam a educação escolar (RCN, PCN`s e etc).
Dentre as possibilidades de trato da capoeira no universo da Educação Infantil, destacaremos algumas faces desta arte que representam alternativas reais e concretas de intervenção pedagógica com crianças de 0 a 6 anos, que se otimizam a partir de suas interlocuções, contextualização e intencionalidade pedagógica. Dentre estas a musicalidade, o movimento, o ritual e as relações interpessoais. Vale a pena ressaltar que em nossa análise destacaremos a potencialidade na construção da pedagogia social, contudo esta só se firmará na prática a partir de uma apropriação crítica por parte dos educandos e educadores, pois a capoeira poderá facilmente estar servindo tanto à “revolução” quanto à “conformação alienada”.


Referências Bibliográficas


ABREU, Frede. O Barracão do Mestre Waldemar. Salvador: Organização Zarabatana, 2003.
ALMEIDA, Raimundo C. A. de. Bimba: perfil do mestre. Salvador: Centro Editorial e Didático da UFBA, 1982.
BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Brasília: 1998.
BOULCH, Lê . O Desenvolvimento Psicomotor: do nascimento até 6 anos. 7ª ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 1992.
DANGEVILLE, Roger. Crítica da Educação e do Ensino. Lisboa: Moraes, 1978.
CAMPOS, Hélio José B. Carneiro. Capoeira na escola. Salvador: Presscolor, 1990.
FALCAO, Jose Luiz Cirqueira. A escolarização da capoeira. Brasília: ASEFE – Royal Court, 1996.
FONTES, Martins. A Ideologia Alemã – Karl Marx e Friedrich Engels. São Paulo: Martins Fontes, 1998.
FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. 3ª ed. São Paulo: Paz e Terra, 1997.
HUIZINGA, Johan. Homo ludens: o jogo como elemento da cultura. Tradução de João Paulo Monteiro. 2ª ed. São Paulo: Perspectiva, 1990.
PISTRAK, M. M.. Fundamentos da Escola do Trabalho. 3ª ed. São Paulo: Expessão Popular, 2003.
REGO, Tereza Cristina. Vygotsky, uma perspectiva histórico-cultural da educação. 10ª ed. Petrópolis: Vozes, 2000.
REGO. Waldeloir. Capoeira Angola: um ensaio sócio-etnográfico. Salvador: Itapuã, 1968.
ZULU, Mestre. Idiopráxis de Capoeira. Brasília: o autor, 1995.
VIEIRA. Luiz Renato. Da vadiação a capoeira regional: uma interpretação da modernização cultural no Brasil. (Dissertação de Mestrado). Brasília: Departamento de Sociologia, UnB, 1990.
A Capoeira disciplinada. Estado e cultura popular no tempo de Vargas. Revista Historia e Perspectiva. Uberlândia, n.7, p. 111-132, jul./dez. 1992.
Angelo Augusto Decanio Filho - A Herança de Mestre Bimba


Artigo escrito por Jean Adriano, Graduado em Educação Física(UFBa), Especialista em Metologia do Ensino da Ed. Física(UNEB), Mestrando em Educacão (UFBa), Mestre de capoeira, publicado em 22/04/2007, no site “Over Mundo”.

Nota do Blog do CAIC: Nas próximas semanas, o “Blog do CAIC” irá publicar a segunda parte deste artigo.

Itabuna Gif 8

Um comentário:

Anônimo disse...

oi pessoal caic ja estou com saldades de voceis auguns prof do caic ja mim conhece sou diego s. nascimento beijos para todos.

Assuntos e Temas Já Publicados no Blog do CAIC

1/3 de férias (1) 100 mil (1) 15 anos (1) 1º dia de aula (1) 200 mil acessos (1) 3 anos (1) 7 de Setembro (1) Abolição da Escravatura (1) Acessos (1) Ações Inovadoras no Livro Didático (1) Adeildo Marques (1) Administração (1) Adriana Santos (1) Adriana Silva (1) Adultos quebrados (1) AETU (2) África de Todos Nós (2) Agricultura Familiar (1) Água (1) Alcântara Pellegrini (1) Aleijadinho (1) Alimentação Escolar (1) Alineci Cardoso (4) Alô CAIC (1) Alunos da Casa (1) Amanhã... (1) Anabela de Malhadas (1) Aniversariantes de Maio (1) Aniversário (6) Aniversário do Blog do CAIC (1) Aniversário do CAIC Jorge Amado (1) Antônio Carlos (1) Aprendizagens e Cidadania (1) Apresentação de resultados (1) Aquisição de Equipamentos (1) Ara Ketu (1) Armas no Brasil (1) Arte-Educação (5) Assessoria aos Conselhos Escolares (3) Assessoria de Desporto e Lazer Escolar (1) Assessoria de Ensino Fundamental - Anos Finais (1) Assessoria Técnico Pedagógica (1) Assessoria Técnico Pedagógica de Educação Ambiental (1) Aumenta Um Ponto" (1) Aumento de Salário (4) Avaliaçao de Resultados 'Mais Educação' (1) Avaliação Externa (2) Avaliativas (2) Bahia (1) BBC Brasil (1) Biblioteca (3) Blog do CAIC (6) Blog Itabuna Centenária (1) Boas maneiras (1) Bolsa Família (4) Brasil (1) Brasil Carinhoso (1) Bullying (3) CAD (3) CAD I - "B" (1) CAD II (1) CAD III (2) Café Filosófico (2) Café História (1) CAIC Jorge Amado (10) CAIC premiado (2) Caldeirão do Huck (1) Calendário de Matrícula (2) Campanha (3) Campanha da Fraternidade (3) Campanha de Vacinação (2) Canto e Coral (1) Capacitação (2) Capitão Azevedo (1) Capoeira (2) Carlos Marques (17) Carta da Terra (1) Cartão de Crédito (1) Carteira de Identidade (2) Carteira de Passes Estudantis (1) Casa Própria (1) Casa Publicadora Brasileira (1) Celular (1) Censo 2010 (2) Centenário (1) Centenário de Itabuna (11) Centenário de Jorge Amado (1) Centrais de Monitoramento (2) CEPEI (1) CEPLAC (1) Certificação (2) Chamada Pública (2) Chico Bento (1) Chocolate Filosófico (1) Ciclo da Adolescência (13) Ciclo da Infância (4) Ciclo da Pré-Adolescência (8) Ciclo ou Seriação (1) Ciclos de Desenvolvimento Humano (1) CIDEB (2) Ciências da Natureza (1) Cinto de Segurança (1) Circuito Interno de Som (1) Claudio Reis (2) Cláudio Reis (1) Cláudio Zumaeta (1) Cleuma (2) CNBB (1) Colação de Grau (2) Colégio Maria de Lourdes (1) Com Esse Pecado (1) Comissão Eleitoral (1) Como Ler (2) Comportamento (1) Computadores e Notebooks (1) Concursados (1) Concurso (10) Concurso Editora Abril (1) Concurso FTD Cultural (1) Confraternização (1) Confraternização dos Aniversariantes (1) Congresso (2) Congresso do PME (1) Conselho de Alimentação Escolar (4) Conselho Escolar (25) Conselho Municipal da Educação (3) Construir Notícias (26) Consumismo Desenfreado (1) Contrato Social (1) Convocação (2) Coordenadores Pedagógicos (3) Copa do Mundo (3) Corpus Christi (1) Correio Brasiliense (1) Correio dos Municípios (1) CPA (1) CPF (1) Creche (4) Creche Gil Nunesmaia (1) Criança Desaparecida (1) Crianças fortes (1) Cristianismo (1) Cultura (1) Cultura Nordestina (1) Curiosidades (2) Curso de Fantoches e Dedoches (1) Curso de Informática (2) Curta na Escola (2) Dança (1) Danosse (1) Datas e Horas (1) Defensoria Pública (1) Denilton Santos (1) Departamento de Acompanhamento da Gestão (3) Departamento de Educação Básica (3) Departamento de Infra-Estrutura (1) Departamento de Projetos Integrados (8) Desenho (1) Desenvolvimento Sustentável (1) Desfile de 7 de setembro (3) Deveres do Professor (1) Dia "D" (9) Dia da Amizade (1) Dia da Consciência Negra (2) Dia da Família (1) Dia da Mães (1) Dia das Crianças (1) Dia do Diretor de Escola (1) Dia do Estudante (1) Dia do Funcionário Público (1) Dia do Índio (1) Dia do Professor (10) Dia Internacional da Mulher (2) Dia Internacional do Consumidor (1) Dia Mundial da Água (1) Dia Nacional do Livro Infantil (1) Dia X (1) Diego Raniery (1) Dinalva Melo (1) Dinheiro (1) DIREC 7 (1) Direitos do Professor (1) Diretores (1) Diretrizes Curriculares da Educação Ambiental (1) Distribuidora Kastor (1) Ditados Populares (2) DPPIG (2) Drogas (1) EaD (1) Ecologia (4) Edital (1) Editora FTD (1) Educação (8) Educação Ambiental (9) Educação Física (4) Educação Inclusiva (5) Educação Infantil (6) Educação Profissional (1) Educação.com Ciência e Tecnologia (1) Educatran (1) Eleição (4) Eleição 2010 (11) Ellen Samille (1) Empossamento (2) Encerramento (2) Encerramento de Semestre (1) Encerramento do Ano Letivo (2) Enquete (2) Ensino Médio (1) Ensino Técnico (1) Entender e Redigir um Texto (1) Entre na Casa pela Causa (1) Eric Thadeu (2) Escola (2) Escola Ativa (1) Escola dos Sonhos (1) Escola em Tempo Integral (10) Escolinha de Futebol (1) Espaço Educar (3) Esporte (1) Estádio de Esporte Amador (1) Estudantes (1) Ética (1) Ewerton de Souza (1) Experiência (1) Fancaic (2) Fanfarras (1) Feliz Ano Novo (1) Feliz Natal (1) Fernando Aprígio (1) Ferramenta Pedagógica (1) Festejos Juninos (2) Festival de Curtas Digitais (1) FGTS (2) Filosofia (4) Final de Ano (1) Financiamento (1) FNDE (4) Folha de São Paulo (1) Fones de Ouvido (2) Formação dos monitores 'Mais Educação' (4) Formatura (2) Fórum da Adolescência (1) Fórum do CME (1) Frase para o Centenário (1) Frei Betto (1) Frequencia Escolar (1) Funcionários (12) Funcionários de Apoio (1) GACC (1) Geografia (1) Gildecy (1) Ginástica Rítmica (1) Gincana (1) Governo do Estado (1) Governo Federal (5) Graça Viana (5) Greve (2) Grigri (1) Gripe (2) Gripe Suína (2) Grupo de Apoio à Criança com Câncer (1) Guarda Civil Municipal (1) Guarda Municipal (1) Guilherme Arantes (1) Gustavo Lisboa (20) Hamilton Weneck (1) Hino Oficial (1) Hino Oficial de Itabuna (4) História em Quadrinhos (1) Homenagem (1) Horário de Verão (2) Humor (1) IBGE (2) IFBA (2) Igreja Adventista do Sétimo Dia (1) Igreja Católica (1) Ilhéus (1) Inauguração (1) Incentivo à leitura (1) Inclusão Digital (2) Inclusão Social (2) Independência da Bahia (1) Independência do Brasil (3) Inês Sobrinho (1) Influenza (1) Informática Básica (2) Início das Aulas (2) Início do Ano Letivo (1) Instituto Maurício de Sousa (1) Integração Escola Comunidade (1) Internet (1) IRIS (3) Israel Nunes (1) Itabuna (2) Itabuna - 101 anos (4) Jacir Venturi (1) Jamile Barros (2) Jardim da Infância (1) Jorge Amado (5) Jornada Pedagógica (13) José Ademaques (1) José Sidenilton Pereira (1) Kleyomara Albuquerque (2) Laboratório de Aprendizagens (1) Laboratório de Informática (1) Laboratório Multifuncional (2) Lampião (1) Lançamento do "Pátria Amada" (1) Lápis na Mão (1) Lar Fabiano de Cristo (1) Lei (1) Leitura (1) Leitura e Escrita (1) Leitura na Praça (1) Leituras Valdelicianas (1) Ler é 10 (2) Liberdade de Imprensa (1) Lição de Vida (1) Licitação (2) Lições de Vida (1) Língua Portuguesa (6) Lions Club Internacional (1) Lions Club Itabuna - Grapiúna (1) Lions Clube de Itabuna - Grapiúna (1) Literatura (1) Literatura de Cordel (1) Livro Didático (1) Livro Infantil (2) Lixo (1) Luciano Huck (1) Luiz Gonzaga (2) Luiz Gustavo Fidelman (1) Mães (1) Magistério Municipal (1) Mais Educação (32) Mantenha Cheio Seu Balão (1) Maratona de Soletração (2) Marcelo Ganem (1) Márcio Abreu (1) Maria da Paz Gonsalves (1) Maria de Fátima Elias (6) Maria Lúcia Bittar Santos (1) Maria Sandra Andrade Santos (1) Mariegna Farias (1) Matemática (2) Matrícula (4) Maurício de Sousa (1) Mayra Jorge (1) MEC / SECAD (1) Medalha Paulo Freire (1) Meire Aparecida Pedersoli (1) Membros Eleitos (1) Merenda Escolar (1) Mestrado (1) Mestrado em Matemática (1) Minha Casa Minha Vida (1) Minha Cidade (2) Minha Escola: Meus Espaços de Vivências (5) Minhas Memórias Grapiúnas (1) Ministério da Cultura (1) Ministério da Educação (4) Ministério da Saúde (1) Ministério Público (1) Miralva Moitinho (1) Mitos da Grécia (1) Moacir Gadotti (3) Moedas (1) Monitoramento (1) Mostra de Arte (1) Mostra Fotográfica (1) Mostra Sócio-Cultural (1) Motivação (1) MP Cidadania (1) Muro do CAIC (4) Música (1) Musical de Natal (1) Mutirão da Cidadania (3) Não" (1) Nas Ondas do Intervalo (2) Natal (4) Nildo Lage (1) Nota de Esclarecimento (1) Novas Cédulas (1) Novas Tecnologias (1) Novo Diretor (1) NTM (6) O Bairro Se Diverte (1) O Circo na Escola (3) O Mistério do Armário (3) O Patinho Feio (1) Odilon Pinto (2) Oficina de Educação Ambiental (1) Olhares de Itabuna: Ontem e Hoje (1) Ônibus (1) Os Saltimbancos (2) Ousarme Citoaian (14) Padre Cosme Sérgio (1) Pagamento (1) Pais (1) Pais e Adolescentes (1) Pais e Mestres (1) Palavra de Blogueiro (3) Páscoa (2) Passe Estudantil (1) Passeio (1) Paternidade Responsável (1) Pátria Amada (14) Paula Cátia (5) Paulo Freire (1) Paulo Pannan (1) Paz (2) PDE (3) Pense Nisso (1) Personalidade Municipalista (1) Pesquisa (1) Petrobras (1) Pimenta na Muqueca (17) PIS/PASEP (3) Piso Salarial do Magistério (1) Placas de Itabuna (1) Planeta Terra (1) Plano de Cargos e Salários (1) Plano de Desenvolvimento da Escola (3) Plano Municipal da Educação (1) Pluralidade Cultural e Identidade Nacional (1) PNAE (5) Poesia (1) Polícia Militar (1) Portabilidade Bancária (1) Portal Brasil (1) Porto Seguro (1) Posse dos diretores (1) Posse dos Novos Conselheiros 2010 (1) Pré-Escola (1) Pré-Escola 2010 (1) Prefeitura de Itabuna (6) Prêmio Viva Leitura 2012 (1) Prestação de Contas (1) Primeiro dia de aula (1) Processo Seletivo (1) PROCON nas Escolas (2) Produtos Roubados (1) PROEJA (4) PROERD (1) Professora Cida (2) Professores (8) PROFMAT (1) Progestão Municipal (2) Projeto "CAIC Jorge Amado Canta Luiz Gonzaga" (1) Projeto "Cidadania Já" (1) Projeto Salutar (6) Projeto Vivenciando Valores (1) Projetos Finais 'Mais Educação' (1) Projetos Integrados (1) Pulseira do Sexo (3) Quebrando o Silêncio (1) Quem Conta um Conto (1) Racismo (1) Rádio Escolar (1) Reajuste Salarial (1) Real (1) Recadastramento (7) Reciclagem (1) Recuperação de Equipamentos Roubados (1) Redação (6) Reforma administrativa (1) Reforma do CAIC (2) Regime semi-integral (1) Reginaldo Paim (1) Registro de Identidade Civil (RIC) (1) Regulamento (1) Rei do Baião (1) Religião (1) Religiosidade (2) Renovação de Matrículas (1) Repasse de Móveis (1) Reunião (2) Reunião de Pais e Mestres (2) Reunião entre Gestores (1) Reutilização de Óleo de Cozinha (1) Revista Nova Escola (1) Rio de Janeiro (1) Rita Barreto (3) Rita Lima (1) Rosângela Conceição (1) Rosângela Marinho (1) Sabão Artesanal (1) Sabão Ecológico (1) Salário Mínimo (1) Sandra Damasceno (1) Santas Missões (2) São João (1) Sarinha Alcântara (1) Saúde (1) SEC Itabuna (24) Sec. Meio Ambiente (1) Secretaria (1) Secretaria da Educação (64) Secretaria de Administração (1) Secretaria de Assistência Social (4) Secretaria de Esportes (1) Secretaria de Transporte e Trânsito (4) Segurança Infantil (1) Segurança nas Escolas (1) Segurança Pública (2) Seleção (4) Selma Barbosa (1) Semana Cultural (1) Semana da Educação Infantil (2) Semana da Família (1) Semana Nacional de Trânsito (3) Semana Nacional do Trânsito (1) Seminário (2) Seminário de Tecnologias da Escola Grapiúna (1) Sérgio Marcelo Salvino Bezerra (1) Servidor Público (2) Servidores municipais (3) Símbolo do Coração (1) SIMPI (1) Simpósio de Educação Infantil (1) Sindicato do Magistério Público de Itabuna (1) SINDSERV (3) Sistema de Segurança (1) Soldado Adriana Chachá (1) Soletrando 2011 (1) Solidariedade (1) SOS Mata Atlântica (1) Sueli Ribeiro (5) Tecnologias (1) Telefone Público (1) Tenente Emmanoel Almeida (1) Tereza Oliveira (1) Thainara Santos (1) Tia Fafá (3) Tipos de Professores (1) Tiro de Guerra (1) Torre Copos (1) Tragédia climática (1) Trânsito (1) Transtorno Bipolar (1) Trupe da Biblioteca Itinerante (1) TV CAIC Jorge Amado (2) TV Santa Cruz (1) Twitter (1) Um Computador Por Aluno (2) Unidades Escolares (1) UNIME (1) Universo Parelelo (14) UOL (1) UOL Educação (1) UOL Literatura (1) Utilidade Pública (1) Utilização da Água (1) Vacinação (2) Vacinação contra a gripe (1) Val Cabral (1) Valorização da Paternidade (1) Vandalismo (1) Velho Carpinteiro (1) Vice-diretores (1) Vídeos Engraçados (1) Vila Anália (1) Violência (4) Violência Doméstica (1) Violência nas Escolas (1) Violência Sexual (1) Vírus H1N1 (2) Viviane Kelly Farias (1) Webconferência (2) Wilton Mourão Barbosa (1) Xadrez (4) Xixi Sustentável (1) Zélia Possidônio (4) Zuleica (1)